Follow by Email

sábado, 21 de janeiro de 2017

MAIS UMA PRIMEIRA AULA

Na apresentação do livro Patrimônio: atualizando o debate (IPHAN, 2006) o arquiteto e professor Carlos Lemos escreve que é rara a oportunidade de editoras publicarem "questões  referentes às políticas  e critérios de salvaguarda e restauração de bens culturais, sobretudo arquitetônicos, visando debater ideias e quem sabe chegar a consensos".
Segundo Lemos, o tema não possui interesse popular e raramente os órgãos oficiais se propõem a discutir em público seus procedimentos como se estivessem a se justificar.




Escolhi a abertura de Carlos Lemos para a abertura da aula deste ano, pois foi há exatos 19 anos que li meu primeiro livro sobre o tema O que é Patrimônio Histórico da Coleção Primeiros Passos, publicado pelo mesmo autor em 1981, ou seja, há 36 anos este admirável professor trouxe a público conhecimentos complexos de forma simplificada e acessível  que até hoje o motiva a trabalhar, estudar e ensinar.

No link abaixo há um documentário que consegue transmitir um pouco da essência deste grande homem.


Feitas as devidas e merecidas referências ao professor Carlos Lemos, proponho a seguinte reflexão:

Por que o debate sobre patrimônio possui pouco interesse popular?

Por que o autor afirma que os debates sobre o tema nem sempre chegam a consensos?

Mais adiante, no mesmo texto de apresentação, o autor dá as primeiras respostas.

"O técnico preservacionista, no entanto, está permanentemente cercado de opiniões, até conflitantes, relativas a critérios de conservação, a comportamentos perante monumentos arquitetônicos e a respeito das cidades. Muita filosofia, muita teoria.!" (LEMOS, 2016, p.13)



Nenhum comentário:

Postar um comentário